Corriqueiramente, clientes e amigos do meio me abordam dizendo que simplesmente não são criativos o bastante ou tem criatividade limitada, e que isso os impede que tenham “ideias geniais” para a melhor gestão e promoção das suas marcas.

Levando pro lado da promoção e do marketing, a criatividade tem pouco a ver com o sucesso nos negócios: a criatividade exacerbada e a esperteza faz por morrer campanhas inteiras de marketing, mais do que as ajuda. Tá certo, eu vou tentar exemplificar com um vídeo.

E aí? Assistiu? Agora tente responder uma pergunta básica: qual o produto em questão nesse comercial? Conseguiu descobrir?

O todo que permeou a proposta da campanha parece um pouco surreal, desde a utilização de personagens virais na internet até técnica de edição “zoeira” de youtubers. Pois faço uma aposta com você: tenho certo que a construção dessa ideia começou com a usual frase “precisamos de algo criativo”!

Não, nem de longe a criatividade deve ficar numa posição alheia à qualquer construção de ideias, mas estamos tentando entender como a busca insana pela tal “criatividade” fez com que se esquecesse de princípios básicos à qualquer ideia: CLAREZA!

Enquanto o conceito de “criatividade” foi trabalhado desatinadamente nessa campanha, os objetivos dela foram deixados no caminho, fazendo qualquer consumidor se assustar com a bizarrice da obra, e então não dispender atenção à informações do que se trata ou quais necessidades estão sendo sanadas.

Que tal combinarmos desde já que materiais de marketing e promoção não são feitos para entreter, e sim para informar? Afinal, eles estão por aí – carregando a sua marca e todo o investimento aplicado – objetivando resultados muito específicos no seu plano estratégico, ainda que não importe se esse objetivo seja uma venda, uma vantagem ou até mesmo uma introdução à marca.

1) Certifique-se que a sua oferta seja pintada da forma mais óbvia e direta;

2) Diga ao seu consumidor que problema está disposto a resolver e quais ganhos você oferece frente à outras escolhas da concorrência;

3) Se possível, os “leve pela mão” e lhes mostre o que devem fazer a seguir (abrir uma ordem de serviço, aceder a um contato, escrever para algum endereço…).

Agora que já decidimos com quais elementos devemos nos preocupar primordialmente nessas estratégias, podemos concordar que talvez não seja assim tão divertido quanto ter uma mulher desviando de memes da internet num supermercado enquanto procura o melhor arroz (sim, é disso que se trata o nosso video anterior), mas com toda a certeza o seu cliente vai saber certamente o que você está propondo na sua ação.

Que tal mais alguns exemplos “jeniais”? Lembrou de algum, corre o mouse ali para os comentários e manda pra cá, e a gente coloca pra geral se deliciar

Artigo
Use a criatividade, mas nem tanto!
Descrição
A criatividade tem pouco a ver com o sucesso nos negócios, fazendo por morrer campanhas inteiras quando usada de forma exacerbada
Autor
Empresa
6OK | Criativa
Logo

Deixa uma resposta

Seu endereço de email não será publicado